36º Congresso Brasileiro de Reumatologia

Centro de Eventos do Ceará


O Centro de Eventos do Ceará é o mais moderno e bem equipado da América Latina

Os espaços têm entre 300 m² e 14000 mil m² e possuem toda a estrutura necessária para se adaptarem às necessidades dos clientes

O Centro de Eventos do Ceará (CEC), equipamento da Secretaria do Turismo (SETUR-CE), é o mais moderno do espaço do gênero na América Latina e o segundo maior do Brasil em área útil, com 76 mil m². Uma das suas principais marcas é a versatilidade: trata-se de um equipamento multiuso cuja vocação é receber feiras, exposições e outros tipos de eventos. Para tanto, é divisível em até 44 espaços diferentes, adaptáveis às necessidades dos organizadores, abrigando ao mesmo tempo eventos de diferentes tipos, portes e vocações. O equipamento é dividido em dois grandes blocos, compostos por salão de exposição (com até 13,6 mil m²) e dois mezaninos, com 18 salas modulares cada um. Os espaços têm climatização e iluminação inteligentes; isolamento acústico; instalações elétricas e sistemas de sonorização ambiente, de comunicação e de telefonia. Os pavilhões foram divididos em salões de 1.500 a 4.500m² todos com nomes de grandes destinos turísticos do Litoral Cearense. O Pavilhão Oeste pode ser divido em 5 espaços (Pecém, Taíba, Mundaú, Almofala e Jericoacoara), e o Pavilhão Leste em três espaços (Icapuí, Aracati e Iguape) por meio de divisórias de 13,65 metros de altura e dobráveis, de modo a ficarem completamente recolhidas em um nicho na parede. Além disso, possuem isolamento acústico. Com entradas específicas para cada espaço, é possível ter eventos de fluxo, vocação e densidade volumétrica distintas, sem que um interfira no outro. Na entrada de cada salão há um conjunto de sete recepções e/ou secretarias que podem trabalhar em conjunto, dependendo do tamanho do evento. Nos primeiros mezaninos, são oito salas de 300 m² cada, que podem ser utilizadas sozinhas ou em conjunto, pois possuem o mesmo sistema de divisórias dos salões. Nos segundos são dez salas modulares. Estas 36 salas (18 em cada bloco), estão equipadas com sistemas de comunicação e de tecnologia e podem ter diversos usos, conforme a necessidade do organizador: auditórios, exposições, palestras, conferências, reuniões, salas de apoio (de administração, de imprensa, de tradução simultânea etc.).

Sustentabilidade marca o projeto

Obedecendo aos parâmetros internacionais vigentes de acessibilidade às pessoas com dificuldades de locomoção e de respeito ao meio ambiente, o projeto do CEC visa evitar desperdícios e racionalizar custos. Todos os ambientes são climatizados. O sistema de ar condicionado é mantido por uma central de água gelada por tanque de termoacumulação para diminuir o consumo de energia e prolongar a vida útil do sistema, resultando também em menores custos de manutenção. A principal área de convivência, a praça de alimentação, é coberta por um grande domo feito em metal e acrílico transparente de alta resistência, permitindo o aproveitamento da luz natural. Todos os sanitários têm sistema a vácuo, semelhante ao utilizado na aviação civil, para a utilização mínima possível de água . Cada pavilhão tem 6 conjuntos com quatro banheiros: um masculino, um feminino, um para deficientes e um família, com fraldário.

Acessibilidade priorizada e localização estratégica

Quanto à acessibilidade, todos os espaços são dotados de rampas com guarda-corpo; oito elevadores; dois conjuntos de escadas rolantes por andar em cada pavilhão; pisos táteis entre outras soluções para que portadores de deficiência possam usar o CEC. O equipamento também vai ser beneficiado por uma estação de metrô, da Linha Leste, que vai ligar os bairros Centro, Aldeota-Meireles e Varjota até a região da Washington Soares. Visando facilitar o acesso e a melhoria do trânsito na microrregião, a Secretaria do Turismo (Setur), já finalizou as obras de quatro túneis, ao quais eliminaram alguns semáforos.